Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

Nova Zelândia obriga setor financeiro a fornecer informações sobre impacto ambiental

Jacinda Ardern prometeu que a Nova Zelândia alcançará a neutralidade nas emissões de carbono até 2050.
Lusa 13 de Abril de 2021 às 09:02
Jacinda Ardern
Jacinda Ardern
Jacinda Ardern
Jacinda Ardern
Jacinda Ardern
Jacinda Ardern
O setor financeiro na Nova Zelândia terá de fornecer informações sobre o impacto ambiental causado pelos seus investimentos, depois de o executivo liderado por Jacinda Ardern ter proposto a primeira lei deste tipo no mundo.

O país também obrigará os bancos, companhias de seguros e gestores de investimento a explicar como irão gerir os riscos e oportunidades ligados aos efeitos sobre o ambiente.

"Não podemos simplesmente alcançar emissões neutras em carbono até 2050 a menos que o setor financeiro saiba qual é o impacto dos seus investimentos sobre o clima. Esta lei irá colocar os riscos climáticos e a resiliência no centro das decisões financeiras e empresariais", explicou o ministro das Alterações Climáticas, David Clark.

A alteração à Lei do Setor Financeiro, apresentada no Parlamento de Wellington, onde o Partido Trabalhista de Ardern tem maioria absoluta, exigirá que cerca de 200 instituições no país apresentem um relatório a partir de 2023, disse Clark.

A lei afetará todos os bancos registados, cooperativas de crédito e sociedades de construção, bem como os gestores de investimentos e seguradoras com ativos totais superiores a 589 milhões de euros.

A medida afetará igualmente todos os emitentes de ações e dívidas cotados na bolsa da Nova Zelândia, a NZX, bem como as empresas públicas com ativos superiores a 589 milhões de euros.

Ardern prometeu que a Nova Zelândia alcançará a neutralidade nas emissões de carbono até 2050 e que mais de metade dos carros do país serão elétricos até 2035.

Nova Zelândia Jacinda Ardern David Clark economia negócios e finanças serviços financeiros política
Ver comentários