Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
5

Oito corpos crivados de balas encontrados por populares em favela no Rio de Janeiro

Polícia Militar tinha realizado uma operação naquele local após a morte de um soldado no dia anterior.
Domingos Grilo Serrinha e correspondente no Brasil 22 de Novembro de 2021 às 12:39
Polícia brasileira
Polícia brasileira FOTO: Getty Images

Oito corpos crivados de balas foram encontrados e resgatados por populares ao amanhecer desta segunda-feira na favela Itaúna, em São Gonçalo, na região metropolitana da cidade brasileira do Rio de Janeiro.

Os corpos estavam numa área de mangue, uma parte da favela com mata densa e alagada pelo mar, onde na véspera, domingo, a Polícia Militar fez uma operação após a morte de um soldado.

Numa atitude que revoltou ainda mais os habitantes do Morro do Salgueiro, onde fica a favela de Itaúna, os bombeiros recusaram esta manhã ir ao local para ajudar no resgate dos corpos. De acordo com a versão oficial, a área é muito perigosa e para os bombeiros irem até lá seria necessário que a polícia ocupasse toda a região.

As oito vítimas, que as autoridades fluminenses já classificaram como marginais muito perigosos mesmo sem haver qualquer identificação, devem ter sido mortas numa grande operação realizada pela polícia neste domingo. Após a morte de um soldado da Polícia Militar na madrugada de sábado na região de Itaúna durante um patrulhamento de rotina, um grande efetivo da corporação, com forças de grupos de elite, invadiu o Morro do Salgueiro disparando a esmo, de acordo com relatos de moradores locais.

Pessoas que estavam nas ruas ficaram feridas, entre elas uma senhora de 71 anos e outros populares que não têm qualquer ligação ao mundo do crime. Depois, na área do mangue, uma área de acesso extremamente difícil, a polícia trocou intenso tiroteio com supostos criminosos e deixou o local sem prestar socorro a ninguém.

No final da madrugada desta segunda-feira, foram os próprios habitantes de Itaúna que começaram a varrer o mangue à procura de vítimas, e até às 8h30 locais, 11h30 em Lisboa, já tinham localizado e resgatado com as próprias mãos oito corpos. A essa hora ainda não era possível saber-se exactamente o que aconteceu, mas ações de extrema violência da polícia são comuns no Brasil quando um dos seus agentes é morto, e, além de criminosos, inocentes muitas vezes pagam com a vida.
Ver comentários