Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
1

Organização Não-Governamental acusa Espanha por falta de condições de acolhimento de refugiados

Maioria dos migrantes que chegam às fronteiras espanholas adoece por fraca alimentação e falta de locais para descansar.
Correio da Manhã 16 de Junho de 2021 às 21:02
Migrantes marroquinos em Ceuta
Migrantes marroquinos em Ceuta

As condições de acolhimento em que são recebidos os migrantes em Espanha são desumanas, segundo notou um relatório da Organização Não-Governamental Médicos do Mundo.

"A maioria dos centros habilitados para responder a esta emergência humanitária não são saudáveis, têm uma dieta pobre e são mantidos em sobrelotação, o que impossibilita o cumprimento das medidas de segurança no âmbito da Covid-19", lê-se no documento. 

A maioria dos migrantes que chegam às fronteiras espanholas adoece por fraca alimentação e falta de locais para descansar, como aconteceu recentemente no enclave espanhol de Ceuta, em que muitas pessoas dormiram no chão de um armazém industrial. Além disso, garante a organização, as condições de higiene são insuficientes, com acesso restrito a chuveiros e a água canalizada. 

O mesmo relatório divulgou dezenas de testemunhos de jovens imigrantes que denunciaram as condições desumanas. 

"Recebi uma calças e umas cuecas semanas depois de chegar. Um dia, estava a chover e a água entrou no nosso alojamento e tivemos de ficar na rua", disse uma jovem marroquina, que morava numa das várias instalações que "só tinham três casas de banho e chuveiro para mais de 200 pessoas".

"É difícil tratar pior as pessoas e gerar mais doenças devido às condições em que são recebidas", atirou a presidente dos Médicos do Mundo, Nieves Turienzo. 

Ver comentários