Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
7

Mãe de Charlie tentou abortar durante a adolescência. Jovem acabou por nascer com metade do braço e das pernas

Mulher só percebeu que era deficiente quando já era adolescente.
Correio da Manhã 7 de Agosto de 2022 às 14:47
Charlie Rousseau
Charlie Rousseau
Charlie Rousseau
Charlie Rousseau
Charlie Rousseau
Charlie Rousseau

Charlie Rousseau, de 25 anos, que nasceu com metade do braço e metade das pernas devido a uma tentativa de aborto da mãe na adolescência que correu mal, só se apercebeu que era deficiente quando já era adolescente.

Charlie Rousseau nasceu com deficiências no corpo. "O médico disse aos meus pais para ficarem com o bebé, embora o processo de aborto não estivesse terminado. Eles podiam ter ido mais longe, podiam ter levado o hospital a tribunal, mas eles viviam numa cidade pequena e não queriam fazer um grande alarmismo", contou.

Natural de Rouyn-Noranda, no Quebec, Canadá, a mulher admitiu que cresceu a sentir-se uma "criança normal". "Nunca me tinha apercebido que tinha uma deficiência até aos 16 anos. Os meus pais mandaram-me para uma escola normal e eu tinha amigos normais. Tinha uma grande personalidade, por isso adaptei-me bem", contou Charlie Rousseau, citada pelo jornal Daily Mail.

Foi apenas quando começou a interessar-se por namorar e por rapazes que aceitou a deficiência e que era "tão diferente". Quando foi para a faculdade, Charlie contou que decidiu que teria um namorado, que iria viver e as pessoas iriam amá-la. 

Aos 19 anos conseguiu o primeiro emprego como locutora de rádio depois de vários anos a batalhar para conseguir arranjar um trabalho. "Nunca tive um trabalho na adolescência porque ninguém me empregava", referiu, acrescentando que todos os amigos "tinham empregos em part-time", excepto ela.

"Quando consegui este emprego, fiquei muito contente e adorei-o", explica Charlie. "Penso que também ajudou a construir a minha confiança", salientou ainda.

Em setembro de 2019 decidiu viajar para a Grã-Bretanha, para ensinar francês nas escolas de Shrewsbury. Desde aí, começou a viajar pelo mundo, e a tentar ter outras oportunidades.

Nessa altura, decidiu criar uma conta no Tik Tok e Instagram para partilhar a sua experiência. "Inicialmente, era para partilhar as minhas fotografias com a família e amigos, para que todos pudessem acompanhar as minhas viagens", contou a norte-americana, referindo ainda que acabou a partilhar a sua história.

Muitos dos seguidores de Charlie adoram o carácter otimista e positivo da jovem. Um vídeo que a locutora de rádio partilhou a conduzir o seu carro adaptado foi visto 3,9 milhões de vezes na rede social.

Com o objetivo de tornar a sua vida o mais normal possível, Charlie usa pernas protéticas, mas confessa que, por vezes, prefere usar apenas as próprias pernas. "Ninguém sabe quanto tempo tem aqui, por isso não percam esse tempo", recorda.

Charlie Rousseau família saúde
Ver comentários