Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
2

Perícia médica aponta nova hora da morte de Diego Maradona e expõe culpados

Especialistas concluíram que "a morte poderia ter sido evitada".
28 de Abril de 2021 às 09:49
Diego Maradona
Futebolista argentino Maradona fuma um charuto antes do início de uma partida de futebol em Buenos Aires
Diego Maradona
Futebolista argentino Maradona fuma um charuto antes do início de uma partida de futebol em Buenos Aires
Diego Maradona
Futebolista argentino Maradona fuma um charuto antes do início de uma partida de futebol em Buenos Aires
As perícias médicas realizadas a pedido da Justiça argentina, no âmbito da investigação da morte de Diego Maradona, revelam culpas do neurocirurgião Leopoldo Luque e da psiquiatra Agustina Cosachov, de acordo com o portal argentino 'TN'.

Após as dúvidas deixadas pela autópsia, os especialistas concluíram que "a morte poderia ter sido evitada" e "foi afetada de forma decisiva por omissões de assistência e uma negligência geral no tratamento e cuidados reservados ao paciente", revela o 'TN', que dá também conta de que a morte de El Pibe ocorreu entre as 4 e as 6 da manhã do dia 25 de novembro.

O relatório clarifica que "Maradona sofria de insuficiência cardíaca e renal e cirrose", patologias que segundo os especialistas foram ignoradas pelos médicos que acompanhavam a lenda do futebol argentino e mundial. Os relatos do 'TN' revelam ainda uma"uma situação totalmente descontrolada" na casa de Tigre, onde Maradona ficou 'internado' após a cirurgia à cabeça, dando ainda conta de uma "total falta de equipamentos mínimos necessários" e "a ausência de assistência médica nos últimos dias de vida" de El Pibe. 

Refira-se que, nesta altura, além de Leopoldo Luque e Agustina Cosachov, respetivamente médico e psiquiatra pessoais de Maradona, outras cinco pessoas estão sob investigação: o psicólogo Carlos Daniel Diaz e quatro enfermeiras.
Diego Maradona Justiça El Pibe Agustina Cosachov Leopoldo Luque TN saúde desporto futebol
Ver comentários