Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
4

Polícia moçambicana deteve suspeitos de esquartejarem menor para ritual

Cabeça da criança foi encontrada a poucos metros do corpo, embrulhada num plástico.
Lusa 13 de Setembro de 2021 às 17:44
Polícia de Moçambique
Polícia de Moçambique FOTO: Getty Images
A polícia moçambicana deteve três homens suspeitos de terem raptado e esquartejado um menor, no centro do país, para lhe retirar órgãos que seriam depois traficados para um ritual no Zimbabué, disse esta segunda-feira à Lusa fonte da corporação.

Os suspeitos raptaram a criança de 13 anos da sua residência em Moha, interior do distrito fronteiriço de Sussundenga, e esquartejaram-na numa mata, onde abandonaram o corpo, antes de fugirem para o Zimbabué, disse Mateus Mindu, porta-voz do comando da polícia da província de Manica.

"Cortaram-lhe a cabeça e extraíram parte dos órgãos, coração e genitais", precisou.

O corpo do menor foi encontrado na quarta-feira, três dias depois do rapto, no local onde foi executado. 

A cabeça da criança foi encontrada a poucos metros do corpo, embrulhada num plástico.

"Os restantes órgãos não foram encontrados", acrescentou o porta-voz da polícia, assegurando que continua um trabalho de investigação para deter a rede envolvida neste caso de "tráfico de órgãos humanos".

Ainda segundo a polícia, após o crime, dois dos suspeitos viajaram para o Zimbabué onde supostamente venderam os órgãos a um comerciante local, que os usaria depois para um ritual cujo objetivo seria o de enriquecer rapidamente.

A polícia zimbabueana colaborou na captura dos dois moçambicanos, enquanto o terceiro envolvido foi detido no distrito onde ocorreu o crime.

Em janeiro de 2020, a polícia reativou um alerta sobre tráfico humano na província de Manica depois de pôr cobro a três tentativas de tráfico de crianças numa única semana.

A tradição violenta já tem alguns anos: as autoridades judiciais lançaram um alerta em 2012, após considerar "alarmante" a subida de casos de tráfico de pessoas e de órgãos humanos, quase todos ligados a rituais para enriquecimento.

Zimbabué Manica crime lei e justiça polícia
Ver comentários