Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
7

Polícia que confundiu taser com arma de fogo no Minnesota vai ser acusada de homicídio involuntário

Kim Potter admitiu que trocou a arma de fogo com um taser quando imobilizou Daunte Wright.
Correio da Manhã 14 de Abril de 2021 às 17:40
Kimberly Potter
Kimberly Potter FOTO: Getty Images
A agente policial que disparou acidentalmente sobre um jovem de 20 anos no Minnesota, EUA, vai ser acusada de homicídio involuntário.

Kim Potter admitiu que confundiu a arma de fogo com um taser quando imobilizou Daunte Wright, que acabou por morrer.

O anúncio foi feito esta quarta-feira pelo procurador da comarca de Washington, Pete Orput. 

Kimberly Potter, de 48 anos, escreveu na carta de demissão afirmandou que "amou cada minuto como polícia" a servir a comunidade, mas acredita "que é do interesse da comunidade, do departamento e dos colegas" que renuncie imediatamente.

O jovem afro-americano, de 20 anos, foi morto em Minnesota, nos EUA, durante uma operação de trânsito na qual foi mandado parar. Terá tentado fugir à polícia resultando num confronto entre a autoridade. Kimberly Potter terá, alegadamente, confundido o taser com a arma de serviço e disparou à queima-roupa. 
Minnesota EUA crime lei e justiça polícia
Ver comentários