Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
2

Polícia vai despir jovens na rua com roupas "demasiado caras"

Projeto-piloto tem o objetivo de dissuadir a criminalidade e vai ser lançado na Holanda.
21 de Janeiro de 2018 às 15:33
Polícia em Roterdão
Polícia em Roterdão
Polícia em Roterdão
Polícia em Roterdão
Polícia em Roterdão
Polícia em Roterdão
A polícia holandesa da cidade de Roterdão lançou um novo projeto-piloto que consiste em confiscar roupas e joias caras aos jovens que parecem "demasiado pobres" para as poderem comprar.

A ideia é dissuadir a criminalidade, neste caso os roubos. "Muitas das vezes os jovens consideram-se 'intocáveis'. Este programa tem o objetivo de lhes mostrar que não o são. Vamos despi-los na rua", explicou o chefe da polícia de Roterdão, Frank Paauw, ao jornal De Telegraaf.

"Um dos pormenores a que tomamos mais atenção são aos relógios, roupas nem tanto. Ainda que hoje em dia, as roupas de marca sejam cada vez mais um sinal de estatuto entre os jovens", acrescenta.

O alvo principal deste programa serão os jovens que não tenham rendimentos e que já estejam notificados com condenações anteriores. A prática vai começar por ser realizada na zona oeste da cidade, num bairro já sinalizado, com o objetivo de "atacar" um gangue em particular.

A ideia está a ser fortemente criticada, principalmente pelos habitantes da cidade, que consideram que o projeto é preconceituoso e tem uma clara índole racista.

Anne Mieke Zwanevel, a provedora da cidade, acredita que o projeto vai criar problemas ao nível das liberdades individuais. "Não é proibido caminhar na rua. Além disso, muitas vezes não é claro como uma peça de roupa é paga e quantos anos tem. Isso é da conta de cada um", disse.
Roterdão De Telegraaf Frank Paauw Anne Mieke Zwanevel questões sociais economia negócios e finanças
Ver comentários