Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
5

Prisão perpétua para ex-polícia que raptou, violou e matou Sarah Everard

Wayne Couzens apanhou mulher numa falsa detenção por alegadamente infringir o confinamento imposto pela Covid-19.
Correio da Manhã 30 de Setembro de 2021 às 12:12
Wayne Couzens
Wayne Couzens FOTO: Facebook
O ex-polícia que raptou, violou e matou Sarah Everard foi esta quinta-feira condenado a prisão perpétua.

Wayne Couzens algemou a mulher de 33 anos na noite de 3 de março deste ano, numa falsa detenção por alegadamente infringir o confinamento imposto pela Covid-19.

Durante a leitura da sentença, o juiz sublinhouy que as circunstâncias do caso são "devastadoras, trágicas e brutais".

Os restos mortais de Sarah foram encontrados cerca de uma semana após o seu desaparecimento, numa zona de floresta perto de Ashford, em Kent, Inglaterra. Só foi possível identificar a vítima através de exames realizados.

Nas imagens divulgadas durante o julgamento esta quarta-feira, o agente da polícia metropolitana surge a encenar a detenção da mulher. Esta foi a primeira vez foram divulgados detalhes sobre o crime.

Everard foi vista pela última vez a caminhar sozinha por uma estrada principal em Clapham, Londres, em direção a casa. 
Sarah Everard Wayne Couzens crime lei e justiça crime rapto
Ver comentários