Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
3

Professora de 28 anos morta a caminho de um bar

Assassinato foi mais uma tragédia de femicídio no Reino Unido.
Correio da Manhã 23 de Setembro de 2021 às 17:32
Sabina tinha 28 anos
Sabina tinha 28 anos FOTO: Direitos Reservados
Sabina Nessa, uma professora de 28 anos, que residia no bairro de Greenwich, no sul de Londres, em Inglaterra, foi assassinada, na semana passada, enquanto se dirigia a um bar que ficava a cinco minutos de sua casa. O seu corpo foi encontrado na tarde seguinte perto de um centro comunitário próximo, alegou a Polícia Metropolitana de Londres.

"A caminhada de Sabina dever ter durado pouco mais do que cinco minutos, no entanto ela não chegou ao destino", disse o inspetor-chefe Joe Garrity, que alegou que a vítima foi morta num parque que fazia o trajeto entre a casa e o bar. Acrescentou ainda: "Sabemos que a comunidade está chocada com este assassinato - assim como nós - e estamos a recorrer a todos os meios disponíveis para para encontrar o responsável.", avançou o CNN.

As autoridades fizeram um apelo para que qualquer pessoa que estivesse na área do parque, na hora do assassinato, se manifestasse.

A morte de Nessa ocorreu seis meses após o assalto e assassinato de Sarah Everard, de 33 anos, que abalou o país. Everard desapareceu depois de sair de casa de um amigo em Clapham, no sul de Londres, no dia 3 de maio. O seu corpo foi encontrado uma semana depois, a mais de 80 quilómetros do local onde foi vista pela última vez. Um agente de autoridade que estava de serviço naquele dia, confessou-se culpado pelo rapto, violação e assassinato da jovem.

A história de Everard provocou uma manifestação nas redes sociais de mulheres que compartilharam as suas próprias experiências de agressão e assédio sexual, catapultando o historial do Reino Unido sobre violência contra mulheres para os holofotes nacionais.
Mais de 200 mulheres foram mortas entre março de 2019 e 2020 no Reino Unido, de acordo com dados do gabinete nacional de estatística e do governo escocês. Cerca de uma mulher é morta por um homem a cada três dias no Reino Unido, de acordo com dados do Censo Femicídio, uma organização que controla a violência contra mulheres.

Na quinta-feira, o conselho de Greenwich distribuiu 200 dispositivos de alarme individuais a mulheres e residentes "vulneráveis", devido ao assassinato de Sabina Nessa. O pequeno dispositivo pode ser anexado às chaves ou guardado numa mala e ativa um alarme sonoro alto na ocorrência de um ataque, disse um porta-voz do conselho de Greenwich em comunicado, acrescentando que os alarmes são distribuídos em eventos desde 2019.
questões sociais crime lei e justiça polícia Reino Unido assassinato
Ver comentários