Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

Quatro ex-prisioneiros libertados por Obama fazem agora parte do governo talibã

Administração do antigo presidente dos EUA libertou os homens em troca do desertor Bowe Bergdahl.
Correio da Manhã 8 de Setembro de 2021 às 17:45
A entrada de um bunker na Base Naval em Guantanamo Bay, Cuba
A entrada de um bunker na Base Naval em Guantanamo Bay, Cuba FOTO: REUTERS/Carlos Barria
Quatro dos ex-prisioneiros de Guantánamo, em Cuba, libertados pelo antigo presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, foram nomeados para cargos no novo governo interino talibã do Afeganistão.

Em troca do desertor Bowe Bergdahl, a administração de Barack Obama libertou, em 2014, os quatro homens.

Os talibãs anunciaram esta terça-feira como membros do novo governo Abdul Haq Wasiq, diretor interino de inteligência; Norullah Noori, ministro das fronteiros e assuntos tribais; Mohammad Fazl, vice-ministro da defesa; e Khairullah Khairkhah, ministro da informação e cultura. Durante 13 anos, os quatro estiveram na prisão militar de Guantánamo e faziam parte do chamado grupo "Cinco de Guantánamo".

Uma das figuras mais temidas é Mullah Mohammad Fazl, que volta ao cargo que detinha antes dos atentados de 2001. É alegadamente responsável por matar milhares de afegãos. 

Mike Waltz, membro da Câmara dos Representantes dos EUA que serviu no Afeganistão, expressou o seu descontentamento com as nomeações. "Ver estes ex-prisioneiros de Guantánamo agora em cargos elevados de um estado terrorista que vai novamente ameaçar a nação é uma chapada no rosto a todos os veteranos e vítimas do 11 de setembro", cita o Daily Mail.

Na terça-feira, o secretário de imprensa informou que o presidente Joe Biden não estava "com pressa para reconhecer o novo governo talibã".
Ver comentários