Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
6

Portugueses detidos por violação alegam ter mensagens que provam sexo consentido

Duas mulheres acusam os homens de violação mas estes negam dizendo que as relações sexuais foram consentidas.
Correio da Manhã e Paulo Jorge Duarte 26 de Julho de 2021 às 10:35
A carregar o vídeo ...
Portugueses detidos por violação alegam ter mensagens que provam sexo consentido

Duas mulheres, de 22 e 23 anos, acusaram quatro homens portugueses de violação coletiva na madrugada de sexta para sábado. O crime terá ocorrido numa pensão na localidade de Gijón, em Espanha. Os homens foram detidos no sábado, ouvidos em tribunal, e vão conhecer as medidas de coação esta segunda-feira. Segundo apurou o CM, os arguidos alegam ter mensagens que provam que o sexo foi consentido.

As duas mulheres, uma asturiana e outra basca, dizem que a violação ocorreu de sexta para sábado. Segundo a imprensa espanhola, as mulheres conheceram um dos homens num bar e aceitaram acompanhá-lo até à pensão que o homem tinha alugado, pelo caminho juntou-se mais um homem ao grupo e quando chegaram ao quarto, as mulheres contam que estavam mais dois homens.

As mulheres afirmam que foram obrigadas a manter relações sexuais com todos eles num ambiente de violência, tendo apresentado queixa à polícia ao início da manhã de sábado. Os homens, todos com menos de 30 anos, referiram em tribunal que as relações sexuais foram consentidas. O grupo tinha chegado à localidade horas antes do alegado crime e alugaram um quarto naquela pensão.

Segundo a imprensa espanhola, os jovens terão conhecido as duas jovens espanholas, de 22 e 23 anos, nas redes sociais e acabaram por se encontrar com elas num bar. O tribunal decidiu manter os jovens sob detenção até receber relatórios médicos e outras perícias. As jovens foram encaminhadas para o hospital de Gijón, em Cabueñes, para serem submetidas a exames médicos.

O caso fez nascer um movimento de compaixão pelas jovens nas redes sociais. O presidente da Câmara de Gijón, a delegada do Governo espanhol nas Astúrias e vários utilizadores das redes condenaram publicamente o sucedido. "O machismo ataca e mata, é um atentado à liberdade das mulheres. A minha condenação total e absoluta pelo estupro múltiplo em Gijón, com quatro jovens presos por abusar sexualmente de duas meninas", disse o presidente asturiano.

Espanha Gijón July crime lei e justiça questões sociais justiça e direitos política crime direitos humanos
Ver comentários