Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

Quebra no abastecimento deixa em risco batatas fritas de Nova Iorque

Famosa cadeia McDonald's restringiu temporariamente as vendas de batatas fritas no Japão.
Lusa 28 de Dezembro de 2021 às 01:29
Batatas fritas
Batatas fritas FOTO: Getty Images
Um problema de abastecimento interrompeu a produção das famosas batatas fritas caseiras de Nova Iorque, que uma cadeia local de restauração tornou num dos ex-libris da cidade, noticiou na segunda-feira a agência de notícias Bloomberg.

"Os rumores são verdadeiros. Devido a um problema na cadeia de abastecimento, temporariamente não estamos a servir nas nossas lendárias batatas fritas caseiras", referiu numa publicação na rede social Instagram a famosa cadeia de restauração J.G. Melon.

As batatas fritas, um dos complementos essenciais no menu de muitos restaurantes locais, para além da carne, correm o risco de ser mais uma vítima da escassez de produtos, que já levou a falhas no abastecimento do 'cream cheese' [creme de queijo em português], de frango ou mesmo de recipientes para 'take away'.

Segundo revelou a proprietária da cadeia à Bloomberg, Jaine O'Neill, a quebra no abastecimento por parte do seu fornecedor de batatas de longa data, a Lamb Weston, causou surpresa e levou à interrupção da produção do seu produto exclusivo.

"Questionei o fornecedor se podia criar uma marca própria para nós, visto que encomendamos 70 caixas por semana e cada uma custa 241 dólares, mas a resposta foi que tínhamos de encomendar 1,34 milhões de dólares por ano", contou, explicando que isso significaria comprar 50% mais batatas que atualmente.

Poucas horas depois do anúncio na rede social, muitos seguidores propuseram soluções para encontrar fontes alternativas.

A responsável confidenciou que o restaurante está a experimentar diferentes tipos de batatas durante este intervalo forçado.

A empresa fornecedora Lamb Weston não respondeu ainda aos pedidos de reação.

A famosa cadeia McDonald's restringiu temporariamente as vendas de batatas fritas no Japão devido aos constrangimentos para a importação de batatas desde a América do Norte, enquanto a Shake Shack já ouviu rumores de uma escassez mas ainda não sentiu os efeitos.

"Trabalhamos muito com os nossos fornecedores para criar redundância e verificamos constantemente todos os ângulos para nos prepararmos com antecedência", revelou o diretor de marketing da Shake Shack, Jay Livingston.

De resto, esta empresa de 'fast food' está a oferecer batatas fritas no aeroporto JFK esta semana para passageiros que tiveram voos adiados ou cancelados.

Ver comentários