Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
6

República Checa acusa espiões russos de explosão de arsenal em 2014

Reino Unido manifestou apoio às autoridades checas na busca pelos agentes militares russos Alexander Petrov e Ruslan Boshirov.
Francisco J. Gonçalves 19 de Abril de 2021 às 08:40
Alegados agentes da espionagem militar russa compareceram na TV em 2018
Alegados agentes da espionagem militar russa compareceram na TV em 2018 FOTO: Reuters
Os dois suspeitos da tentativa de homicídio, por envenenamento, do antigo espião russo Sergey Skripal e da filha, em 2018, na localidade inglesa de Salisbúria, foram agora ligados à explosão de um arsenal de armas na República Checa.

As autoridades checas disseram procurar os espiões russos Alexander Petrov, de 41 anos, e Ruslan Boshirov, de 43, em relação com a explosão de 2014 em Vrbetice, que causou dois mortos e danos materiais avultados.

“Isto revela um padrão de comportamento de Moscovo, a seguir ao ataque com novichok em Salisbúria”, afirmou o ministro da defesa britânico, Dominic Raab, frisando a determinação britânica “em trazer perante a Justiça os responsáveis pelo ataque” e elogiando “as autoridades checas pelo empenho em fazerem o mesmo.

Os suspeitos são, segundo se pensa, agentes do GRU, espionagem militar russa, sendo os seus nomes reais Alexander Mishkin e Anatoliy Chepiga. Os nomes de Petrov e Borishov foram usados quando entraram no Reino Unido pouco antes de Skripal ser envenenado. O próprio Skripal tinha sido agente do GRU e cumpriu pena de prisão na Rússia, antes de se mudar para o Reino Unido em 2010, no âmbito de uma troca de espiões.

As autoridades checas anunciaram a expulsão de 18 diplomatas russos, que se pensa sejam espiões, em retaliação pelo ataque de 2014 agora ligado ao Kremlin e aos agentes do GRU procurados no caso Skripal.
República Checa Sergey Skripal Reino Unido Alexander Petrov Salisbúria Rússia GRU política espionagem
Ver comentários