Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

Taiwan garante que não cederá à China

Tsai Ing-wen respondeu ao discurso do presidente chinês com declarações inequívocas.
Francisco J. Gonçalves 11 de Outubro de 2021 às 08:31
A presidente de Taiwan aproveitou o Dia Nacional para enviar uma mensagem dura a Xi Jinping, que no dia anterior prometeu reunificar a ilha com a China
A presidente de Taiwan aproveitou o Dia Nacional para enviar uma mensagem dura a Xi Jinping, que no dia anterior prometeu reunificar a ilha com a China FOTO: RITCHIE B. TONGO/Lusa/Epa
A líder de Taiwan respondeu este domingo à China, afirmando que o seu país não cederá a pressões. Nas celebrações dia nacional, a presidente de Taiwan, Tsai Ing-wen, garantiu que continuará a reforçar o poderia militar do país para defender o seu estilo de vida democrático.

O discurso assertivo e desafiador de Tsai foi a reposta ao líder chinês, Xi Jinping, que na véspera tinha assegurado que irá reunificar a ilha de Taiwan com a China.

“Continuaremos a demonstrar a nossa determinação em garantir que ninguém nos forçará a seguir o caminho da China”, afirmou a presidente, concluindo: “É que o caminho que a China nos quer traçar não oferece nem liberdade, nem democracia a Taiwan, nem soberania aos seus 23 milhões de habitantes.”

O discurso foi de imediato criticado em Pequim. “Incita ao confronto, retalha a História e distorce o factos”, afirmou em comunicado o Gabinete de Assuntos de Taiwan.

Para Pequim, que nunca teve soberania na ilha, Taiwan é uma província separatista. A origem do país remonta à guerra civil chinesa. No final da guerra, em 1949, o Kuomintang, derrotado pelas forças de Mao Tse Tung, fugiu para Taiwan, criando a República da China.
Ver comentários