Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
2

Timor-Leste chora morte de Basílio do Nascimento

Morreu o bispo de Baucau, figura marcante na luta de Timor pela independência.
Manuela Guerreiro 31 de Outubro de 2021 às 12:06
D. Basílio do Nascimento com D. Manuel Clemente, atual Patriarca de Lisboa
D. Basílio do Nascimento com D. Manuel Clemente, atual Patriarca de Lisboa FOTO: Secundino Cunha
Timor-Leste perdeu mais uma personalidade que se destacou na luta pela independência do país. D. Basílio do Nascimento, bispo de Baucau, a segunda maior cidade de Timor-Leste, morreu este sábado, no Hospital Nacional Guido Valadares, na sequência de um ataque cardíaco. É a segunda figura relevante na história timorense a desaparecer esta semana, depois da morte do jornalista britânico Max Stahl, que filmou o massacre no cemitério de Santa Cruz em 1991, imagens que mudaram o destino da antiga colónia portuguesa ocupada pela Indonésia em 1975.

D. Basílio do Nascimento, 71 anos, tinha uma grande ligação a Portugal, tendo estudado no Seminário de Évora. Foi ordenado na Arquidiocese de Évora, onde foi pároco. Foi ainda professor no Instituto Superior de Teologia de Évora. A 30 de novembro de 1996, foi nomeado pelo papa João Paulo II como Administrador Apostólico de Baucau, passando a bispo titular da diocese a 6 de março de 2004. Em 2011, tornou-se no primeiro presidente da Conferência Episcopal Timorense.

O seu papel ativo na luta pela independência de Timor-Leste levou Portugal a condecorá-lo com o grau da Grã-Cruz da Ordem da Liberdade. O Presidente da República portuguesa, Marcelo Rebelo de Sousa, e o primeiro-ministro, António Costa, lamentaram este sábado a sua morte.
Ver comentários