Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
1

Tribunal absolve professor que dava palmadas no rabo às alunas para criar um "ambiente amigável"

Juízes deram credibilidade ao depoimento de quatro menores. Docente admitiu os atos, mas a "natureza sexual não ficou provada".
Correio da Manhã 27 de Outubro de 2021 às 17:35
Escola
Escola FOTO: CMTV
Um professor do centro educacional de Madrid foi absolvido do crime de abuso sexual por dar palmadas no rabo das alunas de 10 e 11 anos, sentá-las no colo e pôr o dedo entre o elástico da saia e a cintura.

O Tribunal Provincial de Madrid considerou que o docente praticou tais atos para "estar próximo das alunas e criar um ambiente amigável e descontraído", avançou o El País

O docente absolvido trabalhou como professor do 6.º ano entre o final de 2017 e o início de 2018 no centro educacional de Madrid, onde ocorreram os factos.

A acusação do Ministério Público pedia quatro anos por crime de abuso sexual continuado, bem como a proibição de exercer uma profissão com contacto com menores. As provas foram sustentadas com o depoimento de quatro menores, que não testemunharam em julgamento para evitar reviverem os fatos.

O arguido remeteu-se ao silêncio durante todo o julgamento, tendo apenas assegurado no interrogatório inicial que os atos foram "tirados do contexto".

O tribunal de Madrid considerou provado que o arguido praticou atos como "dar palmadas no rabo das alunas, abraços, sentá-las ao colo enquanto fazia carícias no cabelo, nas mãos, nas pernas, nas costas ou cócegas, sussurar-lhes ao ouvido, beijar-lhes as mãos e bochechas ou colocar um dedo entre o elástico da saia e a cintura".

Os juízes deram razão ao professor ao referir que, apesar de "inadequados", todos estes atos correspondem à vontade do professor de "estar perto dos alunos e conseguir um ambiente amistoso e descontraído na sala de aula com uma certa familiaridade e confiança".

Entre os motivos para a absolvição, o tribunal justifica que o arguido nunca tocou nas partes erógenas das alunas, que praticou essas ações à frente de outros colegas, que o que sussurrou aos ouvidos das alunas foram frases inócuas e que as palmadas no rabo foram "em cima da roupa, fracas e não doeram".
Madrid questões sociais crime lei e justiça julgamentos justiça e direitos abuso sexual
Ver comentários