Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
7

Trump abandonado pelos advogados

Cinco advogados pediram a demissão antes do arranque do julgamento no Senado, na próxima semana.
Ricardo Ramos 1 de Fevereiro de 2021 às 08:08
Donald Trump
Donald Trump FOTO: Reuters
Cinco membros da equipa legal de Donald Trump anunciaram este fim de semana a sua demissão do cargo, a pouco mais de uma semana do arranque do julgamento de impeachment do ex-presidente no Senado.

Entre os demissionários estão os dois líderes da equipa legal de Trump, Butch Bowers e Deborah Barberi. Segundo fontes citadas pela imprensa norte-americana, os advogados demitiram-se por discordarem da estratégia de defesa de Trump, que pretende insistir na tese da fraude eleitoral em vez de se defender das acusações de incitamento à insurreição que estão na base do impeachment.

As demissões criam incerteza sobre quem irá defender Trump no Senado. Parece pouco provável que Trump volte a recorrer aos ex-advogados da Casa Branca Pat Cipollone e Patrick Philbin, que o defenderam no primeiro impeachment, há um ano, e Trump também parece ter-se distanciado do seu advogado pessoal Rudolph Giuliani, na sequência do fracasso dos esforços para inverter o resultado das presidenciais de novembro.

O julgamento de Trump começa na próxima terça-feira, dia 9, depois de alguns republicanos terem tentado, sem sucesso, anular o processo alegando que Trump já não é presidente e seria inconstitucional julgar um cidadão privado no Senado.

‘Xamã do QAnon’ quer testemunhar
Jacob Chansley, o autodenominado ‘Xamã do QAnon’ que ficou conhecido por usar um capacete com cornos no ataque ao Capitólio, pediu para testemunhar contra Trump no julgamento de ‘impeachment’ do ex-presidente no Senado. “Ele sente-se traído pelo presidente. Foi enganado e abandonado”, afirmou o seu advogado, adiantando que Chansley esperava um perdão presidencial de Trump antes deste deixar a Casa Branca. Agora, está disposto a testemunhar que Trump instigou o ataque.
Ver comentários