Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
1

Vacina da Pfizer com eficácia dos cinco aos 11 anos

Farmacêutica vai requerer até ao final do mês autorização nos Estados Unidos para este grupo ser imunizado.
Correio da Manhã 21 de Setembro de 2021 às 01:30
Empresa farmacêutica vai pedir autorização para aplicar vacina
Taxa de incidência e Rt baixaram
Empresa farmacêutica vai pedir autorização para aplicar vacina
Taxa de incidência e Rt baixaram
Empresa farmacêutica vai pedir autorização para aplicar vacina
Taxa de incidência e Rt baixaram
A Pfizer garantiu esta segunda-feira que a vacina que desenvolveu contra a Covid-19 é eficaz em crianças dos 5 aos 11 anos, pelo que até final do mês vai requerer autorização nos Estados Unidos para este grupo ser imunizado. A vacina, concebida em parceria com a farmacêutica alemã BioNTech, tem um terço da quantidade de cada injeção atualmente administrada a maiores de 12 anos.

Segundo o vice-presidente da Pfizer, Bill Gruber, após a segunda dose, as crianças dos 5 aos 11 anos desenvolveram níveis de anticorpos ao coronavírus tão fortes como os adolescentes e adultos jovens. O responsável garante que foram registados apenas efeitos secundários como dor no braço, febre ou cansaço. “Penso que atingimos realmente o ponto ideal”, afirmou Gruber, sublinhando que depois de pedir à Food and Drug Administration (FDA) a utilização de emergência da vacina na faixa etária dos 5 aos 11 anos, irá solicitar o mesmo junto dos reguladores europeus e no Reino Unido.

No início do mês, o dirigente da FDA, Peter Marks, disse à AP que quando a Pfizer concluísse os estudos, a agência avaliaria os dados, “em princípio numa questão de semanas”, para decidir se as injeções são seguras e suficientemente eficazes para crianças mais novas. Na semana passada, Cuba começou a imunizar crianças com 2 anos com as suas vacinas e o regulador chinês autorizou duas das suas marcas para utentes abaixo dessa idade.

Portugal 10º país da UE com menos casos
Portugal foi o décimo país da União Europeia (UE) com menos novos casos diários (90) de infeção por milhão de habitantes na última semana, segundo o site Our World in Data, da Universidade de Oxford. A média na UE de novos casos diários por milhão de habitantes está em 108 e a mundial situa-se em 68. Com 502 casos diários, a Eslovénia tem a maior média neste indicador, seguida da Lituânia (397), Estónia (330), Croácia (282) e Letónia (257).

Número mais baixo de infeções desde maio
Portugal registou esta segunda-feira mais sete mortes e 306 casos, o número mais baixo desde 24 de maio, quando houve 241 infeções. Há mais 16 doentes internados, num total de 471, das quais 82 em unidades de cuidados intensivos (-4). A taxa de incidência nacional de infeções voltou a descer nos últimos 14 dias, passando de 173,6 para 149,1 casos por 100 mil habitantes. O índice de transmissibilidade (Rt) - número de casos secundários de infeção resultantes de uma pessoa portadora do vírus - caiu de 0,83 para 0,82.
Mais informação sobre a pandemia no site dedicado ao coronavírus - Mapa da situação em Portugal e no Mundo. - Saiba como colocar e retirar máscara e luvas - Aprenda a fazer a sua máscara em casa - Cuidados a ter quando recebe uma encomenda em casa. - Dúvidas sobre coronavírus respondidas por um médico Em caso de ter sintomas, ligue 808 24 24 24
Ver comentários