Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
4

Variante Ómicron da Covid leva ao cancelamento hoje de mais de 2100 voos em todo o mundo

No fim de semana do Natal foram cancelados 8.000 voos, sendo esperados já 800 na terça-feira.
Lusa 27 de Dezembro de 2021 às 14:12
Dois dias antes da inauguração da ligação direta, os voos estão "esgotados"
Dois dias antes da inauguração da ligação direta, os voos estão 'esgotados' FOTO: Getty Images
Mais de 2.100 voos foram esta segunda-feira cancelados por companhias aéreas de todo o mundo devido à variante Ómicron, da Covid-19, que perturbou viagens após pilotos terem ficado doentes ou em isolamento.

Segundo o mais recente balanço do portal Flightaware, citado pela agência France-Presse (AFP) e datado das 11:30 de Lisboa, as perturbações ocorreram principalmente na China, Indonésia e Estados Unidos da América.

No fim de semana do Natal foram cancelados 8.000 voos, sendo esperados já 800 na terça-feira.

O portal estimava 80.000 voos comerciais diários em todo o mundo antes da onda de cancelamentos que se iniciou na sexta-feira.

Pilotos, assistentes de bordo e outros funcionários tiveram de ser colocados em isolamento após terem sido expostos à covid-19, levando companhias aéreas como a Lufthansa, SAS, Delta, United Airlines e Alaska Airlines a cancelarem voos.

As companhias aéreas China Eastern e Air China cancelaram, respetivamente, 418 voos (20% do seu plano de voo) e 196 voos (17% das partidas), segundo a mesma fonte.

As indonésias Lion Air e Batik Air cancelaram 23% e 28% dos seus planos de voo.

Também as norte-americanas SkyWest, United, Alaska Airlines e American Airlines cancelaram dezenas de voos.

Além da covid-19, alguns dos cancelamentos também podem atribuídos a condições meteorológicas, encerramento de fronteiras ou imperativos comerciais, segundo a agência France-Presse (AFP).

A covid-19 provocou mais de 5,39 milhões de mortes em todo o mundo desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

Em Portugal, desde março de 2020, morreram 18.874 pessoas e foram contabilizados 1.279.785 casos de infeção, segundo dados da Direção-Geral da Saúde.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em vários países.

Uma nova variante, a Ómicron, classificada como preocupante pela Organização Mundial da Saúde (OMS), foi detetada na África Austral, mas desde que as autoridades sanitárias sul-africanas deram o alerta, a 24 de novembro, foram notificadas infeções em pelo menos 89 países de todos os continentes, incluindo Portugal.

Ómicron da Covid AFP China Portugal Covid-19 economia negócios e finanças transportes aviação política
Ver comentários
}