Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
3
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Acácio Pereira

Uns e os outros

O controlo de fronteira decorria com absoluta normalidade.

Acácio Pereira 16 de Fevereiro de 2015 às 00:30

E, sem que nada o fizesse prever ou motivo existisse, um cidadão dirigiu-se a um inspetor do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) e agrediu-o violentamente, provocando o pânico entre os outros passageiros. A história, verdadeira, podia ter-se passado em qualquer posto de fronteira ou departamento do SEF, porque esta realidade está presente no dia a dia de todos os que garantem a segurança nacional. É a profissão que escolheram, é certo. Mas é um trabalho diferente dos outros. É diferente dos outros, mas igual ao das outras forças de segurança civis, militares e militarizadas. No entanto, para quem nos governa, há uns e outros: a GNR e a PSP têm um tratamento diferente do SEF e da PJ. Por outras palavras: uns têm estatutos profissionais adequados e outros são vítimas de leis e de estatutos caducos. Todos garantem a segurança, todos correm riscos – mas os que têm militares a comandá-los têm sempre vantagem. Isso, em democracia, é absolutamente ilegítimo. 

Ver comentários