Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
7
Conteúdo exclusivo para Assinantes Se já é assinante faça LOGIN Assine Já
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

André Ventura

A luta contra a corrupção em Portugal

Limitar a autonomia dos magistrados do Ministério Público e da PJ pode resultar num enorme retrocesso civilizacional.

André Ventura 10 de Fevereiro de 2020 às 00:30
O Ministério Público é uma estrutura hierarquizada, não há dúvida. No entanto, dentro dessa estrutura hierarquizada, presume-se que o topo da hierarquia não tem nem pode ter carta branca para condicionar investigações criminais ou limitar os poderes dos magistrados que têm a cargo complexas investigações ao poder político ou económico.

Sempre se poderá dizer que uma estrutura hierarquizada a isso obriga. Poderá ter algum sentido. Mas não podemos esquecer que a Procuradora-Geral da República é nomeada pelo Presidente da República sob indicação do Governo. Só isto já levanta uma série de questões. Quanto mais se for capaz de limitar ou apontar investigações a políticos. Isso jamais pode acontecer. Teremos investigações à medida caso sejam feitas a políticos amigos do regime ou adversários? Caso sejam feitas a deputados ou autarcas do partido do poder ou de partidos da oposição?

Exclusivos

Assinatura Digital

Acesso sem limites em todos os dispositivos Assinatura válida na APP Correio da Manhã Newsletters exclusivas E-paper antecipado no Quiosque Ofertas e descontos do Clube CM+
Assine já! 1€ no 1º mês
Povo Portugal Ministério Público política partidos e movimentos
Ver comentários
Hoje nas bancas
Capa do Dia
A primeira página do Correio da Manhã e o acesso ao e-paper Ver todas as
primeiras páginas
CM+
O Correio da Manhã para quem quer MAIS conteúdos e vantagens
Assine já 1 mês/1€
  • Todo o conteúdo exclusivo sem limites nem restrições.
  • Acesso a qualquer hora no site ou nas apps.
  • Acesso à versão do epaper na noite anterior.
  • Clube CM+ com vantagens e ofertas só para assinantes