Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
7
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

André Ventura

A Máfia do Fogo

Uma coisa é certa: alguém anda a enriquecer com os fogos que destroem o nosso país.

André Ventura 5 de Setembro de 2016 às 01:45
A operação contra o denominado cartel do fogo, no país vizinho, voltou a trazer à luz da ribalta algo que sempre me foi absolutamente claro: o problema do fogo em Portugal será, acima de tudo, uma questão de negócio.

Que há incendiários loucos, sem dúvida! Que há frustrados e crianças entre os responsáveis, os factos falam por si. Mas algures nesta teia obscura e destruidora estará o vil metal. Não estamos, em meu entender, a tocar no cerne do problema.

Ainda há bem pouco tempo, o Secretário de Estado da Administração Interna se referiu ao extraordinariamente lesivo ‘negócio do fogo’ e tivemos o mais alto responsável dos Bombeiros em Portugal a referir-se a uma ‘onda de terrorismo’ que varreu o país sob o calor escaldante de Agosto. Após tudo isto, que aconteceu?

Certamente que as autoridades policiais e judiciais têm capturado muitos destes agentes criminosos num cenário, diga-se em abono da justiça, extremamente difícil. Investigar após a vaga destruidora dos fogos é tarefa penosa e hercúlea. Mas falta chegar ao cerne do problema. Falta chegar à máfia organizada que beneficia com todo o conjunto de atividades a montante e a jusante dos fogos, desde os equipamentos fundamentais de prevenção e combate ao lucrativo negócio da lenha e das florestas.

Com estas afirmações não quero, obviamente, colocar em causa todos os que - e serão a maioria - trabalham honestamente em setores de atividade próximos, por uma razão ou por outra, da floresta, da madeira ou dos fogos.

O que quero dizer é que, atendendo aos fogos que anualmente se propagam em todo o território, com misteriosos reacendimentos e em localizações praticamente inacessíveis, há uma conclusão que tem necessariamente de se retirar: alguém anda, há muitos anos, a enriquecer à custa dos milhares de hectares de floresta ardida que fustiga o nosso país.

É urgente investigar a fundo e sem receio do que se poderá descobrir. Certamente que o cartel do fogo não é uma figura exclusiva dos nuestros hermanos.

A personalidade: Rafa
O antigo jogador do Braga marcou o mercado de transferências de verão antes de ser oficialmente confirmado como jogador das águias. Desde a disputa entre Benfica e Porto, ao interesse de última hora do Sporting, Rafa foi a principal curiosidade dos media e dos amantes do futebol português nas últimas semanas. Acabou por conseguir o destino que queria e protagonizar a maior transferência de sempre entre clubes portugueses.

Positivo: Terrorismo
Nem sempre o mal vence. Sabe-se agora que as autoridades brasileiras terão agido com rapidez e eficácia e evitado um ataque químico do Daesh durante os Jogos Olímpicos.

Negativo: Saúde
As mortes nos hospitais continuam a não merecer a atenção (e a investigação) devidas pela Inspeção da Saúde, com sucessivos arquivamentos muito duvidosos.
Ver comentários