Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
6
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Bruno Figueiredo

A mulher de César

A ASAE era obrigada a inspecionar anualmente todos os parques infantis.

Bruno Figueiredo 11 de Dezembro de 2017 às 00:30
À mulher de César não basta sê-lo. É preciso parecê-lo." Para a ASAE apenas tem relevado a segunda premissa. Habita no mundo das aparências e disfarça as suas fragilidades com números.

Da esfera quimérica do Inspetor-Geral da ASAE, com base na fiscalização anual de 40 mil operadores, nasce um mundo edílico: a taxa de incumprimento é baixíssima e o consumidor está seguro. "Com papas e bolos enganam-se os tolos!" Mas, de quando em vez, a realidade bate à porta e há quem não se deixe enganar.

Recentemente, um Grupo Parlamentar questionou o Governo quanto à segurança dos Parques Infantis de Santa Maria da Feira.

Em reação, saíram as brigadas para a rua: em nove parques infantis inspecionados (amostra possível face ao reduzido corpo inspetivo), sete foram autuados por diversas infrações, incluindo falta de segurança. A taxa de incumprimento foi de 77%, contrariando os 18% orgulhosamente anunciados por Pedro Portugal Gaspar.

Até 2015, a ASAE era obrigada a inspecionar anualmente cada um dos parques infantis existentes no país. Entretanto, a legislação foi alterada.

No mundo das aparências não há lugar a imposições inexequíveis e que coloquem a nu a triste realidade…
Bruno Figueiredo opinião
Ver comentários