Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Carlos Anjos

Drama no Alentejo

O drama maior é o facto de os agressores terem imunidade.

Carlos Anjos 19 de Agosto de 2016 às 00:30
Um jovem com 15 anos foi agredido em Ponte de Sor por dois irmãos de 17 anos, estando entre a vida e a morte. As agressões ocorreram pelas 03h50. As de savenças iniciaram-se num bar. Este caso levanta várias questões. A primeira tem a ver com o papel dos pais. O que faz um jovem de 15 anos àquela hora da manhã na rua? Foi encontrado por acaso, já de manhã, no chão, inanimado, e aparentemente ninguém deu pela falta dele. Segundo a ONU, com 15 anos é uma criança. Devem as crianças andar na rua a estas horas? Depois, os agressores, com 17 anos, como é que podem conduzir o carro do pai sendo menores? E tinham estado num bar. A fazer o quê? A beber água? É proibido vender bebidas alcoólicas a menores. Mas o drama maior é o facto de os agressores serem filhos do embaixador do Iraque, tendo imunidade diplomática. Não podem ser presos, nem julgados em Portugal, podendo apenas ser expulsos do nosso país. E se o jovem morrer, como vamos explicar aos pais e à sociedade que os agressores não podem ser julgados em Portugal? Isto além do facto de os dois jovens iraquianos estarem a tirar um curso de piloto de avião em Portugal. Mas isto sou eu que vejo muitos fantasmas.
Carlos Anjos opinião
Ver comentários