Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
4
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Carlos Anjos

Muito confuso

Ainda vamos ver o MP a investigar e inspetores da PJ a processar impostos.

Carlos Anjos 31 de Março de 2017 às 00:30
Numa conferência organizada pela Associação 25 de Abril, ouvi a senhora Procuradora-Geral da República falar da necessidade de o Ministério Público alterar os hábitos na investigação criminal, defendendo a criação de equipas de magistrados de várias jurisdições, desde a administrativa, fiscal, penal, entre outras. Ouvi e confesso que fiquei com dúvidas.

Criar equipas de magistrados e afetá-los todos à investigação de um só processo fará com que passemos a necessitar de muitos mais magistrados, ou, então, muitos processos ficarão parados. Mas a minha maior dúvida foi não ter ouvido falar de investigadores criminais. Era bom, antes de darmos passos rumo ao desconhecido, fazermos o balanço dos processos com equipas especiais – e ver os resultados. Parece-me que equipas especiais e megaprocessos são coisas a evitar ou, mesmo, a não repetir. Já basta os que temos. Mas equipas sem investigadores é uma coisa difícil de compreender.

Ainda chegará o dia em que vamos ver Inspetores da PJ a processar impostos, inspetores tributários a fazer acusações e análise de informação e magistrados do MP a fazer investigação. Eu tenho dúvidas, mas talvez a coisa possa resultar.
Procuradora-Geral da República Ministério Público Inspetores da PJ crime lei e justiça investigação
Ver comentários