Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Carlos Rodrigues

Bilhete Postal

Hoje, a caminho de nova comunicação do Presidente ao País, convém não nos esquecermos de que tudo muda num instante.

Carlos Rodrigues(carlosrodrigues@cmjornal.pt) 2 de Novembro de 2021 às 00:32
Há um ano, quase dia por dia, Marcelo também falou ao País. Dia 6 de novembro estava decretado o terceiro estado de emergência. No dia seguinte, o Conselho de Ministros regulamentou, e no dia 9 entrámos num buraco negro que durou até abril. Foram 5 meses em que morreram milhares de pessoas, centenas de cada vez, e dezenas de milhares de doentes por dia na fase de dor mais aguda. Hoje é quase como se já nem nos lembrássemos. Parece um passado longínquo, mas foi praticamente no outro dia.

A memória humana é um prodígio. Há um ano não se circulava à noite, e ao fim de semana era logo a partir da 1 da tarde. Depois, a maravilha da ciência e o profissionalismo do vice-almirante operaram o milagre. Hoje, a caminho de nova comunicação do Presidente ao País, convém não nos esquecermos de que tudo muda num instante.
Postal Marcelo Presidente ao País Conselho de Ministros questões sociais
Ver comentários