Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
1
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Carlos Rodrigues

Vem aí crise?

A venda do Novo Banco tem um potencial de instabilidade política superior ao do negócio do salário mínimo, que isolou o governo.

Carlos Rodrigues(carlosrodrigues@cmjornal.pt) 29 de Março de 2017 às 00:31
A venda do Novo Banco tem um potencial de instabilidade política superior ao do negócio do salário mínimo, que isolou o governo.

A ideia que está a ser cozinhada entre as autoridades europeias e Lisboa passa por vender o banco apenas parcialmente, e abdicar de qualquer voz ativa na gestão. A síntese certeira feita pelas esquerdas diz que estamos a privatizar a propriedade e a nacionalizar os prejuízos futuros.

O bem é de uns, o mal será, outra vez, de todos. Já à direita, se o tema queima, que seja o PS a arder em lume brando.

Ora, quando fica sozinho, Costa tem de se resignar ao facto de ser minoritário: se, no fim do processo, faltar o apoio político, como será?
Novo Banco Costa Lisboa PS Novo Banco
Ver comentários