Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
1
Conteúdo exclusivo para Assinantes Se já é assinante faça LOGIN Assine Já

Diana Ramos

Uma década perdida

Portugal caminha a passos largos para um novo mergulho no abismo da crise.

Diana Ramos 14 de Março de 2021 às 00:30

Foi chamada 'geração à rasca'. Fez na sexta-feira dez anos que milhares saíram à ruas em Lisboa e no Porto alertando para a falta de perspetiva futura. Após três PEC e à beira do resgate financeiro, muitos anteviam as dificuldades de um País que mergulhou em crise profunda. Uma década depois, o que mudou?

As pensões de reforma continuam a ser sinónimo de vidas miseráveis para quem dedicou anos à carreira. A precariedade é nota de ordem entre os mais jovens e a única via possível em áreas como a Cultura. As empresas pouco evoluíram na profissionalização da gestão, a inovação não foi transversal a todo o tecido produtivo. A nota de ordem das empresas é cortar a eito para garantir que salários e impostos são pagos a tempo. O emprego entre os mais jovens caiu e a subida do salário mínimo – ainda que meritória – arrastou a grande maioria para o patamar mais baixo de rendimentos.

Exclusivos

Assinatura Digital

Acesso sem limites em todos os dispositivos Assinatura válida na APP Correio da Manhã Newsletters exclusivas E-paper antecipado no Quiosque Ofertas e descontos do Clube CM+
Assine já! 1€ no 1º mês
Lisboa PEC Porto País economia negócios e finanças trabalho política economia (geral) partidos e movimentos
Ver comentários