Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
7
Conteúdo exclusivo para Assinantes Se já é assinante faça LOGIN Assine Já

Diana Ramos

Radiografia ao País

A fatura será pesada, se o País não souber Executar as verbas do PRR.

Diana Ramos 4 de Junho de 2021 às 00:31
O retrato está feito e os problemas continuam lá. Portugal é como um paciente que vai anualmente ao médico fazer um check-up e o cenário em pouco ou nada muda face às vulnerabilidades apontadas. A Comissão Europeia é clara no diagnóstico: "Portugal tem desequilíbrios", a maioria deles de décadas, assentes num endividamento elevado e num crescimento quase rudimentar da produtividade.

A prescrição "médica" de Bruxelas é quase sempre a mesma: "é preciso continuar a financiar a economia, mas com prudência orçamental." Ou seja, é bom que Portugal saiba executar as verbas do PRR, porque a fatura chegará depois e será pesada se o país não souber corresponder ao momento. A rédea está agora mais solta, mas não será por muito tempo. E quando a válvula voltar é importante que Portugal esteja mais robusto para aguentar a fase seguinte.

Exclusivos

Assinatura Digital

Acesso sem limites em todos os dispositivos Assinatura válida na APP Correio da Manhã Newsletters exclusivas E-paper antecipado no Quiosque Ofertas e descontos do Clube CM+
Assine já! 1€ no 1º mês
Ver comentários