Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
2
Conteúdo exclusivo para Assinantes Se já é assinante faça LOGIN Assine Já

Diana Ramos

Apontar ao futuro

Num momento em que tanto se fala em transição digital e indústria 4.0 é preciso perceber se Portugal está preparado para dar esse salto.

Diana Ramos 14 de Maio de 2021 às 00:31
São apenas quatro as representantes portuguesas que constam na lista da Forbes relativa às 200 maiores empresas mundiais: EDP, Jerónimo Martins, Galp e BCP. Um panorama muito curto que traduz o reduzido mercado português.

É certo que nunca o País poderia comparar-se com gigantes como os Estados Unidos ou a China na competição pelos principais lugares da tabela e que seria difícil, de um dia para o outro, alterar a tradicional malha de empresas médias e familiares que sempre marcou o nosso tecido produtivo, mas são precisas em Portugal mais empresas capazes de competir no feroz mercado de investimento. E porquê? Porque falta uma aposta mais dedicada na educação, falta ambição e faltam incentivos à criação de valor.

Exclusivos

Assinatura Digital

Acesso sem limites em todos os dispositivos Assinatura válida na APP Correio da Manhã Newsletters exclusivas E-paper antecipado no Quiosque Ofertas e descontos do Clube CM+
Assine já! 1€ no 1º mês
País Forbes BCP EDP Jerónimo Martins Galp Portugal economia negócios e finanças economia (geral) política
Ver comentários