Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
Conteúdo exclusivo para Assinantes Se já é assinante faça LOGIN Assine Já
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Fernanda Cachão

Como tirar o País do prego

A última geração de professores que gozava de certo estatuto, a que começou a lecionar na década de 80, está a reformar-se.

Fernanda Cachão 13 de Janeiro de 2022 às 00:30
A última geração de professores que gozava de certo estatuto, a que começou a lecionar na década de 80, está a reformar-se. Em 2021, quase dois mil; neste janeiro, já mais de três centenas. Estima-se que até 2031, as escolas possam perder 46 968.

Há muito que a profissão perdeu a atratividade de outros tempos, com os empecilhos criados à carreira, que se refletem na vida pessoal dos docentes, sobrelotação das escolas, particularmente nas zonas suburbanas, e, porque não dizê-lo, devido à indiferença de quem aprende.



País política
Ver comentários
Hoje nas bancas
Capa do Dia
A primeira página do Correio da Manhã e o acesso ao e-paper Ver todas as
primeiras páginas