Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
1
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Fernanda Cachão

O avô da Heidi

A campanha de Neto foi longa e penosa, como penoso foi vê-lo nos penosos debates desta campanha.

Fernanda Cachão 25 de Janeiro de 2016 às 00:30
Escrever sobre os resultados da candidatura à presidência de Henrique Neto é como se tivéssemos de escrever sobre a candidatura à presidência do avô da Heidi. Mas porque é que ele resolveu sair dos Alpes?

O empresário da indústria dos moldes, que amealhou desde os 14 à conta do trabalho, não precisava de constatar na aposentação que no final da volta a que foi o primeiro a apresentar-se, consegue pouco mais que o carro-vassoura.

Não é só não ter sequer feito cócegas aos candidatos da sua área política, que tanto provavelmente só o próprio esperou, o ex-deputado socialista, do tempo de Guterres, que se apresentava como antissistema, ficou atrás do ET que veio de Rans. A campanha de Neto foi longa e penosa, como penoso foi vê-lo nos penosos debates desta campanha.
Henrique Neto Guterres Tino de Rans eleições presidenciais
Ver comentários