Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
9
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Francisco J. Gonçalves

Verdades que chateiam

O presidente da Comissão Europeia é associado com frequência às mais variadas situações risíveis.

Francisco J. Gonçalves 5 de Julho de 2017 às 00:30
O presidente da Comissão Europeia é associado com frequência às mais variadas situações risíveis. Mas a forma desassombrada como se expressa permite-lhe dizer o que outros pensam mas não dizem. Foi esse o caso das afirmações de ontem no Parlamento Europeu.

Olhando para o hemiciclo e vendo 30 gatos-pingados (o Parlamento tem 750 deputados), disse: "Isto é ridículo." A reação não se fez esperar. O presidente do Parlamento, Antonio Trajani, acusou Juncker de falta de respeito e frisou que cabe ao Parlamento "controlar a Comissão Europeia" e não o inverso.

Trajani, no zelo de virgem ofendida, esqueceu-se de que a presença de 30 deputados numa sessão em que se avaliava os seis meses de presidência de Malta e o realojamento de 160 mil refugiados é falta de respeito.

Os deputados europeus recebem ordenados generosos pagos por todos nós. Mas fazem o que os nossos deputados fazem por cá e só trabalham quando isso não lhes incomoda a vida privada e os outros interesses profissionais que, ilegalmente, conciliam com os deveres políticos.

Isto é mais do que ridículo, é uma ofensa para todos nós e para os ideais de uma Europa solidária e mais justa.
Ver comentários