Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
6
Conteúdo exclusivo para Assinantes Se já é assinante faça LOGIN Assine Já
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Ivone Cordeiro

Prazos

Por vezes fica-se às aranhas, como no prazo do débito direto.

Ivone Cordeiro 10 de Fevereiro de 2018 às 00:30
Tudo na vida está preso por prazos, sendo que alguns são ou deveriam ser estabelecidos na lei. Por vezes por omissão fica-se às aranhas, como no prazo do débito direto, marcado para dia certo. Termina no começo ou no fim do dia?

Parece uma questão banal, todavia não há nas instituições bancárias uniformidade de procedimentos ou de rotinas sobre a gestão dos prazos dos débitos diretos, com consequência nefasta na vida do cidadão.



Código Civil Portugal economia negócios e finanças política prazos justiça débito direto
Ver comentários
Hoje nas bancas
Capa do Dia
A primeira página do Correio da Manhã e o acesso ao e-paper Ver todas as
primeiras páginas
C-Studio