Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
3
Conteúdo exclusivo para Assinantes Se já é assinante faça LOGIN Assine Já
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

João Pereira Coutinho

Quando a realidade se intromete no delírio

Em boa hora a Guerra & Paz reeditou esta jóia, que merece um tratamento especial: é o primeiro conto que Eça publicou e talvez seja o primeiro texto do realismo pátrio.

João Pereira Coutinho 25 de Setembro de 2022 às 00:30
Gostava de ter sido uma mosca, algures em 1874, para ver a cara dos leitores do ‘Diário de Notícias’ quando apanharam pela frente este "Brinde aos Senhores Assinantes". Falo de um conto, escrito por Eça de Queiroz, sobre as ‘Singularidades de uma Rapariga Loura’.

Ensopados de romantismo piegas, em que as donzelas habitavam altares e os seus pretendentes iam arfando por elas cá em baixo, "à borda dum fosso", os leitores devem ter aberto a boca de espanto perante uma história "realista" que dinamitava as convenções do género.



Ver comentários
Hoje nas bancas
Capa do Dia
A primeira página do Correio da Manhã e o acesso ao e-paper Ver todas as
primeiras páginas