Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
2
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

José Diogo Quintela

O Tinismo

Desde ontem que o lugar de bizarria da política nacional já não pertence ao comunismo.

José Diogo Quintela 25 de Janeiro de 2016 às 00:30
Desde ontem que o lugar de bizarria da política nacional já não pertence ao comunismo. Agora, essa peanha é ocupada pelo tinismo. A substituição do comunismo pelo tinismo é um avanço civilizacional: são ambos igualmente absurdos, mas o tinismo tem a vantagem de nunca ter morto ninguém. Quando muito, terá sido responsável por alguma entorse, devido a uma pedra de calçada mal posta.

Julgo que o slogan ‘Afirmar Abril’ não foi bem recebido pelos eleitores comunistas. Em termos de interpelações a meses do ano, o correcto seria Edgar Silva ter usado ‘Questionar Outubro’. Nomeadamente, questionar o que o PCP fez nesse mês, ao apoiar o governo de António Costa.

Não é fácil fazer o habitual discurso de vitória dos comunistas depois de um resultado destes. Edgar Silva ressentiu-se, não esteve muito bem na vanglória. Estava meio abananado. Parecia não acreditar no que lhe acabara de acontecer.

O que é difícil, uma vez que Edgar Silva é particularmente crédulo. Não nos esqueçamos que se trata de alguém que um dia terá pensado: "Eh, pá, esta coisa de Deus é muito giro, mas isto do marxismo-leninismo, sim senhor, também é fixe!".
Edgar Silva PCP António Costa Tino de Rans eleições presidenciais
Ver comentários