Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

José Diogo Quintela

Veio o Zeca Diabo

A tragédia do homem comum é a oportunidade para dar uso a uma infraestrutura pública.

José Diogo Quintela 6 de Julho de 2017 às 00:31
Na telenovela ‘O Bem Amado’, Odorico Paraguaçu, Perfeito de Sucupira, promete construir um cemitério. Depois de reeleito, não morre mais ninguém e Odorico é impedido de inaugurar a sua grande obra. Irritado, contrata o matador Zeca Diabo, para produzir um finado.

Quando se pergunta onde é que o Governo gastou dinheiro em vez de ter o SIRESP em condições, uma das respostas é a manchete de ontem do ‘Público’: ‘Tribunais reabertos nem dois julgamentos por mês fizeram’.

A tragédia do homem comum é a oportunidade para dar uso a uma infraestrutura pública: as centenas de processos que as vítimas de Pedrógão vão colocar ao Estado podem ser julgados nestes tribunais bissextos. Viva!
Ver comentários