Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
8
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Leonardo Ralha

A maldição dos 57 anos

Maldição que leva grandes músicos a saírem do concerto muito novos.

Leonardo Ralha 24 de Abril de 2016 às 00:30
O ex-Rolling Stone Brian Jones foi o membro-fundador do ‘Clube dos 27’ ao aparecer morto numa piscina, e não necessariamente por não saber nadar, mas foram as mortes consecutivas de Jimi Hendrix, Janis Joplin e Jim Morrison, entre o fim de 1970 e meados de 1971, a lapidar a ideia de uma maldição que leva grandes músicos a saírem do concerto muito novos. Em tempos mais recentes, Kurt Cobain e Amy Winehouse reavivaram o número maldito.

Já houve quem empregasse tempo livre a demonstrar, com milhares de datas de nascimento e morte, que os músicos morrem sobretudo aos 74 anos, aproximando-os da esperança média de vida de quem está supostamente mais distante da trilogia ‘sexo, drogas e rock’n’roll’.

Na morte de Prince existe um outro tipo de maldição, tal como no triste adeus a Michael Jackson. Aquela que atinge os ídolos da música que, tendo a fortuna de não morrerem aos 27 anos, lutaram contra o esquecimento dos seus fãs e a falta de força para seguir em frente.

-----
Discos perdidos de um grande artista
"Encomenda ao editor, entrega entre 1 a 2 semanas." É o que encontra quem for às lojas que restam para comprar discos de Prince.
Leonardo Ralha opinião
Ver comentários