Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Leonardo Ralha

Longa vida aos traidores

Constato agora que Garcia Pereira recuou na frase de campanha "Morte aos traidores".

Leonardo Ralha 25 de Setembro de 2015 às 00:30
Declaração de interesses: tenho uma dívida para com Garcia Pereira há quase 20 anos. Trabalhava noutro jornal quando fui fazer reportagem de uma ação de campanha do PCTP-MRPP em Chelas. No final do passeio pelas ruas que o executivo autárquico esquecera – e assim ficaram, pois fui o único repórter a comparecer e à última hora desviaram para outro local o repórter fotográfico que ia comigo –, o líder do partido patriótico e de esquerda apercebeu-se de que não tinha telemóvel para chamar um táxi e ofereceu-me boleia.

Mesmo tendo sido ensinado a não aceitar boleia de estranhos, e de tamanha promiscuidade violar decerto o livro de estilo do tal jornal, aceitei. Reencontrei-o mais tarde, enquanto advogado, mas percebi que mais depressa votaria nele do que deixá-lo representar-me.

Constato agora que Garcia Pereira recuou na frase de campanha "Morte aos traidores", aprovada pela Comissão Nacional de Eleições por nenhum traidor se ter queixado. Longa vida aos traidores, portanto, apesar de o líder do PCTP-MRPP avisar que eles não estão isentos "da morte certa que os espera". Tal como a todos nós, aliás.
Garcia Pereira PCTP-MRPP Chelas Comissão Nacional de Eleições eleições
Ver comentários