Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
9
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Leonardo Ralha

Ritalina 'sotto voce'

Pedro Passos Coelho esteve para ser cantor lírico, mas foi António Costa que recorreu ao ‘sotto voce’ no último debate parlamentar em que se enfrentaram.

Leonardo Ralha 24 de Fevereiro de 2017 às 00:37
Pedro Passos Coelho esteve para ser cantor lírico, mas foi António Costa que recorreu ao ‘sotto voce’ no último debate parlamentar em que se enfrentaram.

Em causa estavam os dez mil milhões de euros que saíram de Portugal para paraísos fiscais entre 2011 e 2015, nas barbas da Administração Tributária e sem registo estatístico.

Sendo inegável que Costa conseguiu que Passos Coelho perdesse a calma, o remate foi desferido ‘sotto voce’, pois o primeiro-ministro disse em voz baixa, mas audível, que o líder da oposição estava muito nervoso e "não precisa de Ritalina", polémico medicamento receitado a crianças com défice de atenção, que minutos antes fora alvo de intervenção do PAN.

Longe vão os tempos em que Carlos Borrego se demitiu por fazer uma piada sobre a morte de pessoas em hemodiálise e Manuel Pinho seguiu o mesmo caminho por fazer cornichos no Parlamento. Quando o péssimo exemplo vem de cima, nada se poderá esperar dos ministros.

No Pacífico existe a fossa das Marianas, 10 994 metros abaixo do nível do mar. Será um recorde até criarem o submarino que consiga chegar ao fundo do debate político em Portugal.
Ver comentários