Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
Conteúdo exclusivo para Assinantes Se já é assinante faça LOGIN Assine Já
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Luciano Amaral

Neo-realismo

A Ucrânia era coisa para sacrificar no altar do realismo das relações com a Rússia.

Luciano Amaral 30 de Maio de 2022 às 00:30
A unidade do Ocidente sobre a Guerra da Ucrânia foi muito bonita enquanto durou, mas à medida que o conflito continua sem aparente solução militar embora com imensos efeitos económicos e sociais, começa a desfazer-se. De repente, multiplicam-se as vozes ‘realistas’. A mais famosa, claro, foi a de Henry Kissinger numa intervenção em Davos, onde essencialmente convidou a Ucrânia a ceder território à Rússia e convidou o Ocidente a convidar a Ucrânia a fazê-lo.



Ver comentários
Hoje nas bancas
Capa do Dia
A primeira página do Correio da Manhã e o acesso ao e-paper Ver todas as
primeiras páginas
C-Studio