Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
5
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Luís Campos Ferreira

Exemplos

Seria bom que, ao nível dos valores e da postura, o exemplo de Passos lhe sobrevivesse.

Luís Campos Ferreira 5 de Outubro de 2017 às 00:30
A esquerda deve estar satisfeita agora que Pedro Passos Coelho decidiu não se recandidatar à liderança social-democrata. Finalmente conseguiu o que andava a pedir há pelo menos seis anos. Percebe-se, sobretudo pelo contraste, por que um político como Passos incomoda tanta gente - não apenas fora mas também dentro do seu partido.

Numa altura em que a seriedade política, a coerência e o sentido de Estado parecem não ter um particular "sex appeal", a postura do líder do PSD sempre teve o condão de irritar aqueles que se orientam por outro tipo de guiões.

E nestes últimos tempos, no meio da inebriante euforia de resultados positivos, Passos Coelho era mais do que nunca uma "avaria cantante/na maquineta dos felizes", como diria Natália Correia. Pois aqui está algo que o PSD não deveria perder.

Independentemente do futuro caminho político e programático que venha a ser percorrido pela nova liderança social-democrata, seria bom que, ao nível dos valores, dos princípios e da postura, o exemplo de Pedro Passos Coelho lhe sobrevivesse. Sem dúvida que tudo isto tem a ver com carácter, com personalidade, até com educação - e isso, ou se tem ou não se tem.

Mas tem muito mais a ver com uma profunda e maturada compreensão do que é desempenhar um papel preponderante na vida política de um país e do que é servir a causa pública. Passos recuperou, para o espaço público e político, essa seriedade (alguns chamar-lhe-ão gravidade), que se tinha completamente eclipsado no anterior consulado de Sócrates e que se voltou a esfumar com a posterior chegada de Costa.

Alguns dirão: as pessoas não querem saber disso, querem é coisas concretas e palpáveis. Mas haverá algo com consequências mais concretas para a vida das pessoas do que levar o país a sério? Foi isso o que Passos fez, com os resultados que hoje a realidade se encarrega de mostrar.
Ver comentários