Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
7
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Magalhães e Silva

Autoeuropa

Ei-los, da SIC à TVI, a defender, quais Acácios, o ‘diktat’ de Bruxelas.

Magalhães e Silva 26 de Novembro de 2017 às 00:30
Para o salazarismo, partidos e greves levaram ao caos da 1ª República. E assim se oprimiu por 48 anos o povo português. Na base disto, a recusa de legitimidade da diversidade de ideias e do conflito que daí nasce. Logo, recusa da democracia.

Esta vacina antidemocrática perdura. É ela que acha as greves um mal e os partidos um coio de malandros. Quem acompanhou a greve da Autoeuropa viu que a vacina perdura, à esquerda e à direita… Mas é a Autoeuropa que mostra que as empresas podem lidar com greves, e que sem elas não teríamos soluções menos gravosas para os trabalhadores.
A mesma questão se põe quanto à nossa posição perante a UE.

Maior défice leva necessariamente a maior dívida, logo à bancarrota? Mas se maior défice levar a maior crescimento do PIB, maior dívida não poderá ser paga de forma mais viável do que a menor? Mais: alguém, de Sócrates a Costa, passando por Passos Coelho, alguma vez delineou uma estratégia para modelo de desenvolvimento diverso do que o Ecofin impõe e diligenciou por alianças que reivindicassem, pelo menos, a discussão?

Enquanto não se tentar, escusam responsáveis e comentadores, à esquerda e à direita, de blasonar que não é possível mudar o paradigma.
Magalhães e Silva opinião
Ver comentários