Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
5
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Maurício do Vale

Barcelona e Viana do Castelo

Ambas aguardam o regresso da Festa.

Maurício do Vale 9 de Dezembro de 2016 às 21:17
Até que a temporada 2017 se inicie, o meu texto semanal será publicado aqui, online. Hoje, pela importância do mesmo, recupero um acontecimento de particular significado.

Joaquim Tapada diz nas suas efemérides que a "3 de Dezembro de 1601 teve lugar em Barcelona uma das primeiras manifestações tauromáquicas, solenizando o nascimento da Princesa Ana Maurício, filha primogénita do Rei Filipe III, numa arena improvisada junto da Puerta del Mar". Fez, pois, 415 anos!!! Cultura e tradição que os políticos locais não deveriam boicotar, em arma de arremesso que não faz sentido.

Por outro lado, Barcelona está, também, na História da Tauromaquia portuguesa. Em 1947, ali recebeu Alternativa o primeiro matador português, Diamantino Viseu; em 1974, ali foi colhido mortalmente José Falcão; em 1981, também ali tirou Alternativa Vítor Mendes! E foi lá que se realizou a 1ª Tourada à Antiga Portugeusa, no estrangeiro, organizada pelo diplomata Orlando Vilela.

Importa que em todo o mundo taurino os políticos, que são eleitos pelo Povo, não utilizem a tauromaquia como arma de arremesso, como atrás recordei, porque a Festa de Toiros é uma "arte solar", como escreveu Abel Neves no livro "Touro", peça encenado por João Mota, com Almeno Gonçalves e Carlos Paulo nos protagonistas, no Teatro da Comuna. Uma arte que reúne todas as classes sociais e não as separa.

Por isso, digo que Barcelona me faz lembrar Viana do Castelo e que ambas aguardam o regresso da Festa...
Ver comentários