Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
4
Conteúdo exclusivo para Assinantes Se já é assinante faça LOGIN Assine Já
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Octávio Ribeiro

Salvo pela febre

Marcelo repetiu povo e mais povo, num sentido caduco desde 1910. Foi penoso ouvir.

Octávio Ribeiro(octavioribeiro@cmjornal.pt) 12 de Junho de 2022 às 00:31
Se Jorge Miranda denunciou um problema grave, que assola a academia e se propaga pela sociedade, Marcelo escolheu o 10 de Junho para fazer o mais vazio dos seus discursos presidenciais. Com uma distorção grave – deu à palavra povo o sentido medieval de arraia miúda, quando dita a Constituição, artº 3º, nº 1, que o Povo é quem exerce a soberania, una e indivisível.



Marcelo Professor Jorge Miranda Professor Jorge Miranda Povo política
Ver comentários
Hoje nas bancas
Capa do Dia
A primeira página do Correio da Manhã e o acesso ao e-paper Ver todas as
primeiras páginas
C-Studio