Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Rui Pereira

Roseira brava

Roseira perdeu porque a sua candidatura não teve chama e foi vítima de ataques demagógicos.

Rui Pereira 25 de Janeiro de 2016 às 00:30
Ganharam: Marcelo, Presidente à primeira volta; Nóvoa, segundo com grande vantagem; Marisa, que fixou o eleitorado do Bloco; Vitorino (‘Tino de Rans’), campeão dos pequeninos.

E ganhou também a abstenção, com maioria absoluta, correspondendo ao indisfarçado desinteresse dos partidos pela eleição. Perderam: Edgar, Morais, Neto, Sequeira, Ferreira e, sobretudo, Roseira.

"Barco sem leme nem remos", disse o saudoso Adriano de outra roseira brava. Roseira perdeu porque a sua candidatura não teve chama e foi vítima de ataques demagógicos? Sim, mas também porque o seu partido, para além de dúplice, passou um certificado de "esquerda-direita" a Marcelo, o qual, pela exposição continuada, era tido como o candidato mais preparado para a função.
Ver comentários