Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Sérgio Pereira Cardoso

Vai um empurrãozinho?

Quando vir alguém a empurrar um carro, em claras dificuldades e a suar por todo o lado, pare, escute e olhe antes de obedecer a um instinto altruísta.

Sérgio Pereira Cardoso 7 de Fevereiro de 2016 às 00:30
É que pode estar perante um ladrão que ficou sem gasolina. Melhor e mais giro, pode estar perante um ladrão que ficou sem gasolina depois de ter roubado 200 litros de gasóleo. Aconteceu em Sobretâmega, no concelho de Marco de Canaveses.

Aproveitando a calada da noite, em abril de 2015, um homem de 35 anos conseguiu a proeza de retirar 200 litros de gasóleo dos depósitos de um camião de transporte de automóveis. Com os bidões carregados e colocados no seu Rover, só faltava fugir. Só, como quem diz. É que o carro, movido a gasolina, já estava na reserva há uns dias e acabou por trair o ladrão no pior momento possível.

Não restou outra solução que não empurrar o veículo repleto de litros de gasóleo, mas nem uma pinga de tão preciosa gasolina. É aqui que entra em ação Álvaro Jorge, morador em Sobretâmega, acordado a meio da noite com o barulho e que saiu de casa em cuecas. "Vi um homem, sozinho, a empurrar um Rover azul, no caminho junto a minha casa. Estive quase a oferecer-lhe ajuda, mas deixei-o ir", contou, na altura.

Numa questão de minutos, Álvaro e o filho aperceberam-se do furto de combustível no camião que costuma estar estacionado naquela zona. Matemática mental rápida, ligaram o caso ao condutor apeado, que agora já se encontrava a descansar num muro, após minutos de esforço a empurrar o Rover. Jurou-lhes nada ter a ver com o assunto, mas, qual marido apanhado pela mulher a chegar embriagado a casa, foi traído pelo odor que exalava. Como não acreditaram que o cheiro a gasóleo fosse nova tendência de perfume, os dois familiares tentaram agarrar o ladrão que, num último fôlego de um cansativo furto, encetou a segunda tentativa de fuga da noite. Saltou para um campo, tropeçou, caiu e rasgou as calças. Álvaro e o filho agarraram-no – sendo agarrar um termo eufémico para um ato que, ao que parece, envolveu um belo par de bofetadas – e trancaram-no numa carrinha até chegar a GNR, que o levou ao posto.

No Rover, os militares encontraram nove bidões de gasóleo, apreendidos e devolvidos ao proprietário do camião. Já o ladrão foi apenas identificado e mandado para casa. Até o deixaram ficar com o carro, mas a gasolina não está nada barata. Vai um empurrãozinho?
Sérgio Pereira Cardoso ladrões do pior
Ver comentários