Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
9

Batota sem castigo

Frases da ministra abrem a porta a cunhas, truques e batotas.
Carlos Rodrigues(carlosrodrigues@cmjornal.pt) 23 de Março de 2021 às 00:31
As declarações da ministra da Justiça a defender que será difícil punir os batoteiros das vacinas são triplamente graves.

Desde logo, trata-se da ingerência de uma governante em processos da Justiça, ainda por cima investigados por uma polícia que tutela. Van Dunen chega a referir casos concretos como o da pastelaria do Porto, com funcionários chamados por um responsável do INEM.

São declarações graves também porque muitos dos batoteiros que estão a ser investigados são autarcas, dirigentes e caciques partidários, e isso já não isenta a ministra da suspeita de estar a interferir, se não em causa própria, pelo menos em defesa dos seus.

Verdadeiramente impensável é o timing destas declarações surreais. Com a vacinação atrasada e milhões de portugueses à espera, com que cara defenderá o Estado a partir de agora o rigoroso cumprimento das prioridades?

As frases da ministra abrem a porta a todo o tipo de cunhas, truques e batotas. Ora, Van Dunen não é ingénua, e não ficará surpreendida com tais efeitos.

O que levanta a dúvida central: afinal, porque razão falou a ministra quando toda a prudência a aconselhava a um rigoroso silêncio?
Van Dunen Justiça economia negócios e finanças política ministros política nuclear
Ver comentários