Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
6

Sócrates mercadejava

Sócrates tentou encarnar a figura de Lula lusitano e exultar pelos 25 crimes que o magistrado lhe retirou.
Armando Esteves Pereira(armandoestevespereira@cmjornal.pt) 11 de Abril de 2021 às 00:32

Depois de ouvir a decisão de Ivo Rosa, Sócrates tentou encarnar a figura de Lula lusitano e exultar pelos 25 crimes que o magistrado lhe retirou e pelo facto de deixar de ser acusado de corrupção, que segundo o juiz prescreveu.

Ainda vai correr muita tinta nas instâncias judiciais. E em matéria de recursos para tribunais superiores neste processo , o cadastro de Ivo Nelson Rosa não é abonatório. A única vitória relevante da defesa do antigo governante na Relação foi assinada por Rui Rangel, um desembargador que agora também enfrenta as teias da justiça.

Mas nem Ivo Rosa conseguiu apagar o rasto da corrupção de um governante que teve um poder quase absoluto. Na versão do juiz de instrução, Santos Silva é o dono dos 34 milhões de euros, que a acusação presume pertencerem a Sócrates. Mas ao receber 1 727 398,56 euros (um milhão setecentos e vinte e sete mil trezentos e noventa e oito euros e cinquenta e seis cêntimos ) do amigo, diz o juiz que o político "mercadejou o cargo" de primeiro-ministro.

Grande parte dos arguidos secundários deste processo fica livre de qualquer acusação. Com exceção do único pobre no banco dos réus. O antigo motorista João Perna que só cumpria ordens, mas vai responder em tribunal pelo crime de detenção de arma proibida. O destino de Perna neste enredo é quase uma metáfora da Justiça portuguesa.

Ivo Nelson Rosa Sócrates Lula João Perna crime lei e justiça julgamentos
Ver comentários